BLOGS DO PORTAL OESTE NEWS

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

MANOEL TEIXEIRA DE SOUZA - 1º PREFEITO CONSTITUCIONAL DE BOA SAÚDE, ANTIGO JANUARIO CCCO

Manoel Teixeira de Souza (Nezinho) primeiro
prefeito eleito do município de Boa Saúde - RN

O mês de Fevereiro lembra, também, a posse do primeiro prefeito e dos primeiros vereadoreseleitos do município de Boa Saúde. No dia 01 de Fevereiro de 1955, ocorreu a posse do prefeitoManoel Teixeira de Souza (Nezinho) e dos vereadores: Agenor Ferreira Xavier, Antônio Augustode Souza, Antônio Gonçalves Chaves, Aliete de Medeiros Paiva, Francisco Soares de Souza, Joaquim Serafim Coelho, José Francisco de Oliveira, Juvenal Osmar de Andrade, Paulo Ferreirade Mendonça e Robério Xavier do Nascimento, da primeira legislatura no período de 01deFevereiro de 1955 a 31 de Janeiro de 1960. Na mesma legislatura os suplentes: Alfredo José daCosta, Augusto Félix da Costa, Francisco José da Costa e José Boa Vista Barbalho, chegaram aassumir o cargo de vereador.

FONTE> BOA SAÚDE - JORNAL CIDADANIA

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

INFORMAÇÕES DO MUNICÍPIO DE BOA SAÚDE - RN


O povoamento das terras que constituem o Município de Boa Saúde teve início na primeira metade do século XIX, com a expansão do território de São José de Mipibu. Documentos comprovam a existência de habitantes na região, bem antes de 1859.
As famílias mais antigas, que se tem notícias, de terem residido no povoado situado na Data do Lerdo que deu origem a Boa Saúde são: Saca, Ferreira e Nunes. Pertencente a família Saca, Antônio Badamero muito contribuiu para a formação de Boa Saúde como carpinteiro, pedreiro e oferecendo “arrancho” aos tropeiros.
Com a chegada dos Cachoeira que teriam vindo do sertão da Paraíba e estabeleceram-se em várias partes do território, desenvolvendo a agricultura e a criação de gado, o povoamento tomou novo impulso.
Existe mais de uma versão quanto à origem do nome Boa Saúde. Uma de que romeiros teriam trazido a imagem de N.S.da Saúde, do Juazeiro no Ceará, e que a partir daí o povoado passou a chamar-se Boa Saúde. Outra, de que os Cachoeira teriam construído uma capela dedicada a N.S.da Saúde, depois que uma pessoa da família ficou curada após banhar-se no rio onde existia muito muçambê. E, ainda a mais provável, de que um viajante teria adoecido e ao ficar curado quando de passagem pela localidade, hospedado na casa de Antônio Badamero, teria exclamado: “este é um lugar abençoado, um lugar de muita saúde”. Depois do ocorrido, Luiz Cachoeira mandou construir uma capela dedicada a N.S.da Saúde, cujo pedreiro foi Antônio Badamero. A imagem da santa teria vindo da Europa, o que é mais provável, pois o nome Boa Saúde já era citado em documentos de 1878, enquanto as romarias ao Juazeiro, no Ceará, se intensificaram onze anos depois, a partir de 1889.
No início da década de 1930, Boa Saúde passou a fortalecer-se como povoado, contando com uma concorrida feira. Com o desenvolvimento da cultura do algodão, chegou a possuir duas bolandeiras. As principais lideranças da época eram José Heronides da Câmara e Manoel Joaquim de Souza (Neco de Sinhá). Em 1935 foram construídos o mercado público, o grupo escolar e a cadeia. No ano seguinte passou a Zona Fiscal”, sendo instalada uma agência arrecadadora e, em 1938 foi elevada à categoria de vila.
O movimento pela emancipação política foi iniciado no final da década de 1940, tendo como principais lideranças Antônio Augusto de Souza, Manoel Teixeira de Souza e Manoel Ribeiro de Andrade. A criação do município ocorreu em 11 de dezembro de 1953, com a denominação de Januário Cicco, em homenagem ao Dr. Januário Cicco, médico nascido em São José de Mipibu. Foi nomeado prefeito, o Tenente Adauto Rodrigues da Cunha.
A primeira eleição municipal foi realizada em 03/10/1954, sendo eleitos como primeiro prefeito constitucional Manoel Teixeira de Souza e como vice-prefeito José Batista Xavier. Depois de 37 anos como Januário Cicco, em 02/02/1991, o município passou a chamar-se Boa Saúde, atendendo a uma antiga reivindicação dos seus habitantes, alicerçada na tradição e na devoção a N.S. da Saúde.
Fonte: BOA SAÚDE – Origem e Historia
Autores: José Alaí de Souza e
Maria de Deus Souza de Araújo

2. SIGNIFICADO DO NOME: Em homenagem a padroeira Nossa Senhora da Saúde.
3. ANIVERSÁRIO DA CIDADE: 11 de dezembro ( o município foi criado em 11.12,1953).
4. CARACTERÍSTICAS
Localização:
O Município de Boa Saúde está localizado no Rio Grande do Norte, na Microrregião do Agreste Potiguar. A sede municipal fica a uma distância de 75 quilômetros de Natal, a capital do Estado. Está situada a uma altitude média de 104 metros acima do nível do mar e tem as seguintes coordenadas geográficas: 06o 06’ 00” latitude sul e 35o 32’ 54” longitude oeste.
Área e Limites:
A área total do Município de Boa Saúde é de 264 km2, correspondendo a 0,50% da superfície do Estado do Rio Grande do Norte.
Limites: Norte – Bom Jesus e Macaíba
Sul - Serrinha e São José de Campestre
Leste – Lagoa Salgada e Vera Cruz
Oeste – Serra Caiada e Sen. Elói de Souza
Clima
O clima do Município de Boa Saúde é semi-árido, com uma temperatura média anual de 25,7 Cº e umidade relativa média anual de 74%. O período chuvoso corresponde, normalmente, aos meses de março a junho, com as seguintes precipitações pluviométricas anuais: média de 741,2 mm; máxima de 1.573,0 mm e mínima de 394,23 mm.
5. COMO CHEGAR
Saindo de Natal, pegar a BR 101, em seguida a BR 306 e depois a BR 226 até alcançar a RN 120 (próximo a cidade de Serra Caiada) por onde deve chegar a cidade de Boa Saúde.
6. PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS:-
-Igreja de Nossa Senhora da Saúde
- Praça Nossa Senhora da Saúde
- Poço da Pedra Grande
- Barragem Boa Saúde no rio Trairi
- Barragem de Guarani no rio Trairi
- Estádio Municipal Manoel Teixeira de Souza
- Espaço Cultural “Vila de Boa Saúde”
- Centro Comercial com Box do artesanato local
- Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro(Córrego de São Mateus)
- Igreja do Padroeiro São Mateus (Córrego de São Mateus)
- Casas de Farinha (Córrego de São Mateus)
7. EVENTOS:
-Janeiro/fevereiro: Festa de Nossa Senhora da Saúde - Uma tradição há mais de 130 anos
A Festa de Nossa Senhora da Saúde ou a Festa de 02 de Fevereiro, como é conhecida, é um dos maiores acontecimentos sócio-religiosos da Região do Trairi, no Rio Grande do Norte.
Durante todo o ano, as pessoas visitam a capela de Nossa Senhora da Saúde e pagam promessas. Mas é durante os dias 31 de janeiro, 01 e 02 de fevereiro que aumenta o número de devotos que acorrem à cidade de Boa Saúde para participar da festa da sua padroeira, agradecendo graças alcançadas e pagando promessas. Os festejos começam, geralmente, no dia 24 de janeiro com uma carreata,saindo de uma cidade vizinha, trazendo a imagem de Nossa Senhora da Saúde em procissão. O novenário se prolonga até o dia 01 de fevereiro. O encerramento da festa ocorre no dia 02 de fevereiro com missa solene e procissão com a participação de cerca de 10 mil pessoas. Nos dias 31 de janeiro, 01 e 02 de fevereiro acontece a tradicional festa de rua com parques de diversão, barracas, entretenimentos diversos, apresentação de bandas musicais e festas nos clubes.
A Festa de 02 de Fevereiro é uma tradição que se repete a mais de 130 anos, pois o documento mais antigo citando a localidade com o nome de Boa Saúde é datado de 22/06/1878.
- Janeiro: Festa de São Sebastião em Guarani
Nos dias 19 e 20 de janeiro no povoado de Guarani é realizada a festa de São Sebastião padroeiro da comunidade.
- Fevereiro/março: Carnaval
Por ocasião do carnaval são organizados dois ou três blocos com a participação dos jovens que além de desfilarem pelas ruas de Boa Saúde, costumam visitar as cidades vizinhas.
- Junho: Festejos juninos

OBSERVAÇÕES:
* Em 1859, já existiam habitantes no território do atual município de Boa Saúde.
* Em 1867, já existiam moradores no atual Distrito de Córrego de São Mateus.
* A construção da primeira capela e a Festa de 2 de Fevereiro é anterior a 1878.
* 11/07/1886: a Prefeitura de São José de Mipibu nomeou as primeiras professoras de Boa Saúde.
* 02/02/1935: inauguração do prédio do Grupo Escolar Dr. Mário Câmara, onde foi a residência de Antônio Badamero e hoje existe o Correio. José Heronides da Câmara e Silva, uma das principais lideranças políticas, foi o responsável pela construção.
* 06/10/1935: inauguração do primeiro mercado de Boa Saúde, com as presenças do Interventor Mário Câmara e do Dep. Café Filho, único norte-rio-grandense que exerceu o cargo de Presidente da República. O responsável pela sua construção foi José Heronides da Câmara e Silva.

* 17/09/1938: Boa Saúde passou à condição de vila com a criação do Distrito de Boa Saúde.
* No início da década de 1950, Boa Saúde recebeu iluminação através de motor a diesel. A inauguração da energia de Paulo Afonso ocorreu em 1971.
* 11/12/1953: Boa Saúde passou a município com a denominação de Januário Cicco. Em 02/02/1991 houve a mudança do nome para Boa Saúde.
*03/10/1954: foi realizada a 1ª eleição para prefeito, vice-prefeito e vereadores de Boa Saúde.
* 01/02/1955: posse do primeiro prefeito eleito Sr. Manoel Teixeira de Souza e, posse dos primeiros vereadores do município.
* 1968: Inauguração do prédio da E. E. Dr. Mário Câmara, na Av. Manoel Joaquim de Souza, construído nas administrações do Gov. Mons. Walfredo Gurgel e do Pref. Manoel Teixeira de Souza (Nerzinho de Souza).

FONTE: INTERNET

A INSTALAÇÃO DO MUNICÍPIO DE JANUARIO CICCO, ATUAL BOA SAÚDE


O Município de Januário Cicco foi instalado no dia 01/01/1954, passando a ser administrado pelo Tenente Adauto Rodrigues da Cunha, nomeado pelo Governador Sylvio Piza Pedroza. O ato de instalação do município foi presidido pelo Dr. Paulo Pereira da Luz, Juiz de Direito da Comarca de São José de Mipibu, conforme ata que transcreveremos a seguir:
“Ata da sessão solene de Instalação do Município de Januário Cicco.
A primeiro de Janeiro de mil novecentos e cinquenta e quatro, pelas quinze horas, no edifício do Grupo Escolar, nésta cidade de Januário Cicco, do estado do Rio Grande do Norte, sob a presidência do Dr. Paulo Pereira da Luz, Juiz de Direito da Comarca de São José de Mipibu, na forma da lei, reuniram-se em sessão solene as autoridades e pessoas gradas abaixo assinadas, com numerosa assistência popular, para o fim de se declarar instalado o município de Januário Cicco, criado pela Lei nº 996, de 11de Dezembro de 1953. Aberta a sessão e de pé a assistência, foi ouvido o Hino Nacional, seguindo-se uma vibrante salva de palmas. O Senhor Presidente, ainda de pé a assistência, pronuncia então em voz clara e pausada as seguintes palavras inaugurais: “Na forma da lei, e de acordo com o rito previsto, tenho em mira a salvaguarda jurídica dos interesses do Povo, o resguardo da tradição histórica da Nação e a solidariedade que deve unir todos os brasileiros em tôrno dos ideais superiores de uma Pátria una e indivisível, bem organizada para bem defender-se, culta e progessista para fazer a felicidade dos seus filhos, eu, Paulo Pereira da Luz, Juiz de Direito da Comarca de São José de Mipibu, em nome do Governo do Estado, declaro confirmados para todos os efeitos no quadro territorial desta Unidade da Federação Brasileira, todos os limites do Município de Januário Cicco, criado pelo Lei nº 996, de 11 de Dezembro de l953, que tem por sede esta localidade, que ora recebe os fóros de cidade. Assim fique registrado na História Pátria, para conhecimento de todos os brasileiros e perpétua lembrança das gerações vindouras. Honra ao Brasil uno e indivisível! Paz ao Brasil rico e forte! Glória ao Brasil desejoso do bem e do progresso nos melhores sentimentos de solidariedade humana! Três prolongadas salvas de palmas aplaudiram e festejaram as palavras do Senhor Presidente, que davam por instalado o novo município. Sentando-se a seguir, a Mesa e toda a Assistência, o Senhor Presidente deu a palavra ao Doutor Djalma Nunes Fernandes, que proferiu expressiva alocução alusiva aos fins e ao sentido da solenidade, sendo calorosamente aplaudido. O Senhor Presidente, a seguir, agradeceu à assistência o seu comparecimento, cujo alto significado cívico enaltece, declarando encerrada a sessão e convidando aos presentes a ouvirem a leitura desta ata, a qual, depois de lida, foi assinada pelo Senhor Presidente e pelas demais autoridades e pessoas gradas presentes. Eu, Deífilo Cavalcante de Barros Oficial do Registro Civil, funcionando como secretário ad-hoc, escrevi esta ata e a li ao termo da sessão solene, cuja realização aqui se registra.
Cidade de Januário Cicco, primeiro de Janeiro de mil novecentos e cinquenta e quatro”.
Assinam a presente ata o Dr. Paulo Pereira da Luz, Juiz de Direito da Comarca de São José de Mipibu, o Senhor Deífilo Cavalcante de Barros, Oficial do Registro Civil de Januário Cicco, o Deputado Federal Theodorico Bezerra, o Dr. Djalma Nunes Fernandes, os Senhores Manoel Teixeira de Souza, Antônio Augusto de Souza, Manoel Ribeiro de Andrade, Robério Xavier do Nascimento e a Senhorita Aliete de Medeiros Paiva, principais lideranças políticas do município, seguidos de representantes de outros municípios e várias outras pessoas representantes dos diversos setores da comunidade.

Decreto de Criação e a Instalação do Município


A lei que criou o Município de Januário Cicco, foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte, datado de 12/12/1953, tendo o seguinte teor:
“LEI N 996,DE 11 DEZEMBRO DE 1953
Cria o município de Januário Cicco e dá outras providências.
O PRESIDENTE DA ASSEMBLÈIA LEGISLATIVA DO RIO GRANDE DO NORTE
Faço saber que o Poder Legislativo decreta e promulga a seguinte Lei:
Art. 1º - É criado o município de JANUÀRIO CICCO, desmembrado dos recém criados municípios de Serra Caiada e Monte Alegre e dos de Santo Antonio e São José de Campestre.
Art. 2º - É igualmente criado o Termo Judiciário do mesmo nome , da Comarca de São José de Mipibu.
Art. 3º - Os limites serão os do antigo Distrito, exceto em relação aos municípios de Santo Antonio e São José de Campestre, que serão os seguintes: Com o município de Santo Antonio: mantém os limites atuais com São José de Mipibu e Santo Antonio, na parte referente ao Distrito de Boa Saúde, até Lagoa de Pedras, daí segue pela estrada de Brejinho que passa pelo lado sul da Lagoa Barrenta, continuando pelo leito desta estrada até o seu cruzamento com o riacho do Bom Pasto; daí, sobe pelo curso desse Riacho até os limites de São José de Campestre. Com o município de São José de Campestre: do ponto em que termina a linha com Santo Antonio, segue pelos atuais limites destes dois municípios até atingir o atual Distrito de Boa Saúde e daí conserva-se aos atuais limites deste Distrito com São José de Campestre.
Art. 4º - VETADO.
Art. 5º - O novo município instalar-se-á a 1º de janeiro de 1954, e será administrado por um prefeito de livre nomeação do Governador do Estado, até a realização das eleições para Prefeito, Vice-Prefeito e Vereadores à Câmara Municipal.
Art. 6º - Revogam-se as disposições em contrário.
Natal, 11 de dezembro de l953, 65º da República.
SYLVIO PIZA PEDROZA
Américo de Oliveira Costa”

MARIA EDIRCE - ATUAL PREFEITA



PEDRO FRANCISCO DOS SANTOS - VICE-PREFEITO


PEDRO BERICO DOS SANTOS, CONHECIDO POPULARMENTE POR "PEDRO BERICO", NASCIDO A 18 DE SETEMBRO DE 1986

HISTÓRIA DE BOA SAÚDE ANTIGO JANUÁRIO CICCO

O povoamento da área que constitui o município de Boa Saúde se desenvolveu a partir do início da primeira metade do século XIX, com a expansão do território de São José de Mipibu. A interiorização da Colônia, através do sistema de datas e o avanço da pecuária foram responsáveis pela ocupação das terras. Na data do Lerdo, se desenvolveu o povoado de Boa Saúde; na data de San Matheos o povoado de Córrego de São Mateus e, na data das Almas o sítio Gatos, atual Guarani. Documentos de partilhas de terras comprovam a existência de habitantes na região, bem antes de 1859.

As famílias mais antigas de Boa Saúde, que se tem notícias, são: Saca, Ferreira e Nunes. Pertencente a família Saca, Antônio Badamero muito contribuiu para a formação do povoado, como carpinteiro, pedreiro e oferecendo “arrancho” aos tropeiros. Com a chegada da família Cachoeira, que teria vindo do sertão da Paraíba, a formação do povoado tomou novo impulso. Possuidores de um certo “recurso”, se estabeleceram em várias partes do território com a agricultura e a criação de gado.

Quanto à origem do nome Boa Saúde, existe mais de uma versão. Uma de que romeiros, aconselhados por um padre, voltaram do Juazeiro com a imagem de Nossa Senhora da Saúde e a partir daí o povoado passou a se chamar Boa Saúde. Outra, de que os Cachoeiras teriam construído uma capela, dedicada a Nossa Senhora da Saúde, depois que uma pessoa da família ficou curada após banhar-se no rio, onde existia muito muçambê. E, ainda, que o povoado passou a se chamar Boa Saúde depois que um viajante, hospedado na casa de Antônio Badamero, adoeceu e ao ficar curado, ter exclamado ser um lugar abençoado, um lugar de muita saúde.Depois do ocorrido, Luiz Cachoeira tomou a iniciativa de mandar construir uma capela dedicada a Nossa Senhora da Saúde, cujo pedreiro foi Antônio Badamero.

A imagem de Nossa Senhora da Saúde teria vindo da Europa, o que é mais provável, pois o nome Boa Saúde já era citado em documentos de 1878, enquanto as romarias ao Juazeiro se intensificaram, onze anos depois, a partir de 1889.

Pertencendo a São José de Mipibu, foi a partir do início da década de 1930 que Boa Saúde se fortaleceu como povoado. Possuía, à época uma concorrida feira e com o desenvolvimento da cultura e do comércio do algodão chegou a possuir duas bolandeiras. As principais lideranças da época eram José Heronides da Câmara e Manoel Joaquim de Souza (Neco de Sinhá). Em 1935 foram inaugurados, o mercado e o grupo escolar. Em 1936, passou a zona fiscal com uma agência arrecadadora e, em 1938, foi elevada à categoria de vila. O ideal de emancipação teve início nos últimos anos da década de 1940, tendo como principais lideranças: Antônio Augusto de Souza e Manoel Teixeira de Souza.

Em 1953 foram criados vários municípios no Rio Grande do Norte. Boa Saúde seria um deles se não fosse o veto do Deputado Estadual João Frederico Abott Galvão. Ao invés de município, teve seu território dividido e passou a pertencer aos, recém criados, municípios de Monte Alegre e Serra Caiada. O movimento pela emancipação continuou mais articulado, ainda, e culminou com a criação do município em 11 de dezembro do mesmo ano, recebendo em troca do apoio do Deputado João Frederico a denominação de Januário Cicco. Foi nomeado como primeiro prefeito o Tenente Adauto Rodrigues da Cunha. A primeira eleição municipal foi no dia 03/10/1954, sendo eleitos como primeiro prefeito constitucional Manoel Teixeira de Souza e como vice-prefeito José Batista Xavier.

Depois de 37 anos como Januário Cicco, em 02/02/1991, o município passou a se chamar Boa Saúde, atendendo a uma antiga reivindicação dos seus moradores, alicerçada na tradição e na devoção a Nossa Senhora da Saúde.

FONTE: SITE DA PREFEITURA DE BOA SAÚDE

Quem sou eu

Minha foto
SOU APAIXONADO PELA LEITURA E TENHO A MANIA DE ESCREVER E DE PESQUISAR. AMO A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS, COMO TAMBÉM AMO AO MEU PRÓXIMO COMO AMO A MIM MESMO; SOU MUITO FELIZ PORQUE DESEJO FELICIDADE A TODAS AS PESSOAS, ATÉ MESMO AQUELAS QUE NÃO GOSTA DE MIM; SOU FELIZ PORQUE SOU UM BOM FILHO, BOM ESPOSO E BOM PAI.